Estrago de temporal já é o maior de 2017, segundo Defesa Civil

Foram grandes os estragos da chuva, que começou na noite de ontem (25), em Maringá.

Por Ademir Zilio 26/10/2017 - 09:23 hs
Foto: Divulgação/ Defesa Civil

Foram grandes os estragos da chuva, que começou na noite de ontem (25), em Maringá. De acordo com a Defesa Civil, o temporal, que se estendeu durante a madrugada, foi o que contabilizou mais estragos desde o início do ano, na cidade. Conforme a órgão, até as 7h desta quinta-feira (26), ao menos 35 quedas de árvores já haviam sido confirmadas.

Depois desse horário, no entanto, não foi possível fazer nova contagem oficial. "Não dá para passar um balanço exato, pois a cada minuto chegam novas solicitações. É um balanço parcial, porque muitos não ligam durante a madrugada, deixam para ligar depois que amanhece", diz o coordenador da Defesa Civil de Maringá, Adilson Costa. Os casos de maior risco também foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros.

Os ventos fortes, que chegaram a 80,28 km/h, segundo o Instituto Simepar, provocaram estragos em várias regiões de Maringá, mas o mais afetado foi o entorno da Avenida Kakogawa, como o Parque das Palmeiras e das Grevíleas e o Jardim Vitória. "São muitas situações, elegemos prioridades, como os contribuintes que estão presos nas residências, por causa da queda de árvores. E são muitos casos assim".

O primeiro chamado recebido pela Defesa Civil foi às 23h13 e, depois disso, o telefone não parou mais de tocar. "Trabalhamos ao longo de toda a madrugada, fazendo a sinalização e, na medida do possível, as equipes da Semusp retiraram as árvores, mas, em muitos casos, havia fios de alta-tensão no chão e necessitamos da intervenção da Copel, pois é um risco grande, ainda mais no escuro", relata Costa.

As árvores, segundo o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil, caíram sobre vias públicas, sobre residências e duas sobre veículos. Um jovem de 21 anos também se feriu ao colidir em um galho de árvore caído. De acordo com os bombeiros, o motociclista pilotava uma Honda Bros pela Avenida Colombo, quase esquina com a Rua Valparaíso, e caiu da motocicleta, mas teve apenas escoriações. Ele foi encaminhado ao Hospital Santa Casa.

Durante a madrugada, os órgão de segurança também atenderam a um caso de destelhamento. Outras denúncias podem ser feitas pelos telefones 156 (Prefeitura) ou 193 (Corpo de Bombeiros).

Chuva

 

Conforme o Instituto Simepar, entre ontem e hoje choveu 22,2 milímetros de água. A previsão é de que a chuva continue nesta quinta-feira.

fonte maringa.odiario.com