Em uma semana, Paraná registra 68 mortes violentas

Novo projeto do G1, em parceria com especialistas, monitora casos de violência. Levantamento registrou, no período de 21 a 27 de agosto, todos os homicídios, latrocínios e suicídios do país.

Por Ademir Zilio 25/09/2017 - 15:09 hs
Foto: (Foto: Reprodução/ RPC)
Em uma semana, Paraná registra 68 mortes violentas
Izaque Furlan, de seis anos, foi morto em Almirante Tamandaré

Paraná registrou 68 mortes violentas entre 21 e 27 de agosto. São 50 casos de homicídios, 12 casos de suicídio, um caso de latrocínio, um caso de overdose e 4 casos sob investigação.

Os números integram um levantamento nacional feito pelo G1, que é o ponto de partida de uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O projeto tem um nome: Monitor da Violência.

Com uma série de iniciativas que envolvem reportagem e análise de dados, o projeto vai fazer o acompanhamento desses e de outros casos de violência no país.

Nesta segunda-feira (25) completa um mês que o corpo do menino Izaque Furlan, de seis anos, foi encontrado. Ele é umas dessas 68 vítimas de violência no Paraná entre 21 e 27 de agosto. Os suspeitos estão presos.

O menino foi assassinado por causa de uma desavença entre a mãe dele e uma vizinha, de acordo com a Polícia Civil. O caso ocorreu em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, e o corpo do garoto foi encontrado dentro do forno.

O casal suspeito de cometer o crime foram presos preventivamente. Ao autorizar a prisão dos suspeitos, a juíza responsável pelo caso resumiu como o menino foi atraído e assassinado.

“(...) Por vingança, os autuados, tiraram a vida de uma criança! Valeram-se de sua inocência, a seduziram com a oferta de uma pipa, a qual chegando à residência dos conduzidos foi surpreendida, sem qualquer possibilidade de defesa ou reação, com tijoladas, tendo ainda seu pescoço amarrado até a morte, de forma covarde e cruel”, disse a juíza.
  • Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) informou que:

"As polícias Civil e Militar têm trabalhado para reduzir o número de crimes cometidos contra a vida em todo o Paraná. Os números apontam para isso: nos primeiros seis meses de 2017, a queda foi de quase 18% em todo o estado. E houve uma redução de 25% em Curitiba. É o menor número de homicídios já registrados na capital nos últimos 10 anos. Mais do que isso: as polícias tem trabalhado para elucidar de forma satisfatória e para dar respostas ágeis à sociedade sobre os crimes cometidos.

Recentemente o governo Beto Richa adquiriu mais de 2 mil viaturas e contratou mais de 11 mil policiais. Todo este efetivo foi distribuído em todas as regiões do Paraná. Além do reforço no policiamento, outro importante fator que resultou na queda do número de homicídios foi a especialização da Polícia Civil com a criação de Divisão de Homicídios que se dedica exclusivamente na elucidação dos crimes contra vida. Com esta especialização, mais homicidas estão sendo presos no Paraná".