Tecnologia na terceira idade.

Por Yuri W. Apolinário 10/09/2017 - 12:46 hs

Tecnologia na terceira idade.

 

Nos últimos dez anos a tecnologia teve um grande crescimento, anos atrás quem imaginava que seria possível fazer uma chamada em vídeo para falar com alguém do outro lado do mundo, e que nossos celulares fariam o mesmo que um computador. Com a evolução da tecnologia nossos vovôs e vovós não tem a mesma facilidade com a tecnologia como os mais jovens, e nem sempre temos paciência para ensiná-los a mexer em seus aparelhos, graças à inclusão digital isso tem mudado, nossos idosos têm buscado cursos na área para aprender utilizar seus aparelhos celulares e computadores.

 

Vantagens da tecnologia na terceira idade.

O acesso aos dispositivos digitais estimula o cérebro e, nesse sentido, os ganhos cognitivos são vários. Há pesquisas que mostram benefícios para aspectos como memória e até depressão, na internet, o idoso interage e socializa mais, isso faz bem para o comportamento dele, já que ele fica mais ativo e se integra à realidade de hoje, em que boa parte da rotina envolve tecnologia.

No Brasil, cada vez mais aumenta o número de pessoas acima de 50 anos envolvidas com as novas tecnologias. Segundo pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2016, 14,9% da população idosa brasileira utilizam a internet sendo que há dez anos, os usuários eram apenas 7,3%. O número de idosos dessa faixa etária que utiliza o celular também aumentou bastante: pulou de 16,8% em 2005 para 55,6% nos dias atuais.

Especialistas da área da saúde concordam que os dispositivos trouxeram autonomia para os idosos que, muitas vezes, não gostam de ter que pedir ajuda para realizar tarefas do dia a dia. Os benefícios, segundo esses profissionais, se estendem para as capacidades motoras e visuais de quem têm mais de 60 anos.

 

Só o fato de aprender algo novo, independentemente de ser no computador ou celular, já é um estímulo cognitivo para eles. Fora isso, a interação com os dispositivos tecnológicos acaba trabalhando estimulação motora, percepção visual, memória, atenção e processamento de informações.